PUBLICIDADE

Santos 3 x 0 Vasco: Ataque explosivo do Peixe e falhas de Sidão definem placar

Santos Vasco

O placar clássico em um dos jogos mais tradicionais do futebol brasileiro só foi possível pela combinação entre o ataque explosivo do Santos com as falhas de Sidão. Uma delas em especial que abriu alas para o Peixe acelerar muito e chegar fácil à meta adversária. Um 3 a 0 que ficou barato pela enorme quantidade de chances criadas.

O jogo que evidenciou como a falta de segurança pode desestabilizar um time numa partida. O Peixe já era superiou em campo, com a velocidade que colocou em campo pelos lados, com Soteldo e Sánchez bastante ativos pela direita, além de Rodrygo pela esquerda.

O Vasco tinha problemas para se encontrar, com três zagueiros sendo que Bruno Silva era um volante improvisado. A ideia era rechear a entrada da área para se proteger minimamente. Sobrava generosos espaços na entrada dela.

Mas o que fez o Vasco se perder de vez foi a péssima atuação de Sidão. Um erro de passe dentro da área que gerou uma finalização perfeita de Diego Pituca, encobrindo o arqueiro, aos 20.

A falta de segurança aumentou quando Maxi López marcou e viu seu gol ser anulado por impedimento. O VAR indicou a posição irregular do centroavante no belo lance trabalhado por Pikachu e Marrony.

O Vasco não mais chegou à frente. E piorou sua marcação atrás. O Santos envolveu e acelerou até fazer o segundo. Desarme de Jorge na meia esquerda e arrancada de Rodrygo, que deu um tapa na saída de Sidão. 2 a 0.

O arqueiro vascaíno teve seu nome cantado pela torcida santista. Notadamente pela atuação ruim que teve. Saindo pelo menos outras duas vezes muito mal da meta. E instável emocionalmente.

O Vasco voltou dos vestiários menos vulnerável, com as entradas de Bruno César e de Andrey. Teve uns bons 15 minutos em campo, com quatro chances de gol.

Até o Peixe ganhar a contenção de Alison e voltar a acelerar ofensivamente, com Soteldo muito bem na aceleração das jogadas. O amor pelas oportunidades de gol fez a máquina santista funcionar a pleno vapor.

Duas bolas na trave, em dois minutos. E um caminhão de chances criadas. Com certa facilidade até uma vez que o Vasco se lançou à frente sem medir as consequências de deixar tanto espaço atrás. Levou o terceiro, com Soteldo. E poderia ter levado mais, diante das 23 tentativas de gol, 11 delas no alvo.

O Vasco se viu totalmente entregue defensivamente. O time já sofreu 10 gols em quatro jogos. Sem vencer qualquer um deles. Muita coisa. E muito trabalho para Vanderlei Luxemburgo, recém-contratado.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
© PRORROGAÇÃO 2019 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS