PUBLICIDADE

Bahia 3 x 2 Corinthians: Tricolor de Aço impõe virada ao campeão paulista

Bahia Corinthians

Na Arena Fonte Nova, o Bahia contou com um segundo tempo incisivo para virar o placar e vencer o Corinthians por 3 a 2. Estreia de Brasileirão para dar boas vibrações para o time baiano, campeão estadual há uma semana. 

O Tricolor de Aço colocou um calor no alvinegro, como se precisasse esquentar mais que os 28°C em Salvador. Roger Machado elaborou uma estratégia de marcar forte no campo de ataque e impedir as saídas corintianas. Para isso, contou com Fernandão como centroavante até os 24 – quando uma dividida de cabeça o fez sair, com um inchaço no supercílio.

Era um 4-3-3 com Ramires encostando à frente e os laterais Nino e Moisés chegando sempre pelos lados.

Ao Corinthians, estava faltando espaço e paciência para passar do meio-campo. Sornoza mal aparecia para ajudar por dentro e o time não tinha saída. No 4-1-4-1, o time reagia ao adversário sem ter o menor pudor de cadenciar as jogadas.

Isso deixou o jogo sonolento a partir dos 15. E só voltou a esquentar aos 46, quando Pedrinho fez o que sabe de melhor: chutou da entrada da área. Desta vez, colocando no canto esquerdo. 1 a 0.

Era o 100º jogo de Pedrinho como profissional. Destaque para o roubo de bola e para a assistência de Ramiro, até então sumido na partida.

O gol foi rapidamente desconstruído. Porque rapidamente, no lance seguinte, Arthur Caíke conferiu em cruzamento da direita. Testada em cima de Cássio, que não conseguiu salvar.

O goleiro se redimiu ao empurrar para o poste a finalização firme de Moisés, em um segundo tempo comandado pelo Bahia. Mais forte no ataque, com as mudanças de Roger.

Empenho que se consolidou em virada no placar. Jogada de Rogério, passada para Gilberto chegar ao fundo e cruzar para Artur empurrar na rede. Sozinho. 2 a 1.

Placar que aumentaria para três, em uma falha que não se vê todo dia de Ralf. Assim como o toque por cobertura de Rogério em Cássio. Golaço para brindar os mais de 29 mil torcedores presentes à Arena.

O Corinthians teve quase 59% de posse, mas não conseguiu se impor no ataque. Boselli, muito bem na quarta, praticamente não teve aproximação de seus companheiros. Dificuldade imposta.

Um chute da entrada da área de Clayson acertou o canto esquerdo de Anderson. Gol que descontou o placar. Mas não reverteu a derrota. 3 a 2.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
© PRORROGAÇÃO 2019 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS