PUBLICIDADE

Rogério Ceni se torna o quarto técnico a rejeitar o Galo

Atlético Mineiro

 

Rogério Ceni vai continuar no Fortaleza. O treinador rejeitou no início da tarde desta quarta-feira a oferta feita pelo Atlético-MG para ocupar o cargo deixado por Levir Culpi. 

Pesaram para a permanência de Rogério na capital cearense uma série de questões, como o compromisso firmado com o presidente do clube, Marcelo Paz. O treinador também ouviu de amigos que será importante para ele ter a imagem de alguém que honra seus contratos.

Os constantes atrasos salariais no Atlético e o fato de o elenco estar envelhecido também tiveram influência. O Galo, inclusive, estava disposto a pagar um salário maior do que os R$ 250 mil que Rogério recebe no Fortaleza. Seus vencimentos seriam na casa dos R$ 300 mil por mês.

Desta maneira, Rogério Ceni se tornou o quarto técnico a rejeitar ofertas do Galo em menos de duas semanas. Tiago Nunes, do Athletico Paranaense, Jorge Sampaoli, do Santos, e o desempregado Juan Carlos Osorio também já haviam dito “não” ao vice campeão mineiro.

A negociação com Osorio ocorreu na semana passada, porém acabou sendo rapidamente descartada. É que a pedida salarial do colombiano, ex-técnico de São Paulo e das seleções do México do Paraguai, foi considerada fora da realidade atleticana. Ficou a impressão na diretoria do Galo de que Osorio pediu muito para não ter de recusar uma oferta estando desempregado.

A busca por um novo comandante deve se concentrar no exterior. Na Argentina, especula-se que o Atlético conversa desde as primeiras horas do dia com Beccacece, técnico vice-campeão em seu país com o Defensa y Justicia. Eduardo Coudet seria outra possibilidade.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
© PRORROGAÇÃO 2019 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS