PUBLICIDADE

No finzinho, Fla bate Flu e vai à decisão da Taça Rio

Flamengo Fluminense

 

Teve de tudo no Fla-Flu da semifinal da Taça Rio. Ânimos exaltados, um VAR bastante “decisivo” e luta até o último minuto. Depois de muita tensão, o Flamengo (que esteve com um a menos durante o segundo tempo) assegurou sua vaga na final da Taça Rio ao derrotar o Fluminense por 2 a 1 no finzinho do duelo no Maracanã.

Renê e Everton Ribeiro garantiram o triunfo rubro-negro, enquanto Yony González marcou para os tricolores, no clássico na noite desta quarta-feira.

Com o resultado, a equipe aguarda o vencedor de Bangu e Vasco na final da Taça Rio.
Quanta confusão…

Nem a “estreia” do VAR no Fla-Flu evitou que a polêmica entrasse em campo. A um minuto, Léo Santos estufou a rede após aproveitar uma bicicleta de Yony González. Mas Marcelo de Lima Henrique solicitou o auxílio do árbitro de vídeo. Passados cinco minutos de expectativa, o juiz anulou (de forma polêmica), por falta de Matheus Ferraz em Rodrigo Caio.

Foi o suficiente para deixar os ânimos exaltados na etapa inicial. Houve sopapos, empurrões e, já nos acréscimos, Bruno Henrique foi expulso depois de uma dividida, por deixar sua perna para acertar o joelho de Gilberto.

Aguerrido, Fla sai na frente

Quando se tratou de futebol, o Flamengo tomou as rédeas diante de um Fluminense que se desnorteou em virtude do seu gol anulado no início do duelo. Em cochilo da zaga, Uribe exigiu Rodolfo. Renê finalizou rente à trave. A equipe de Fernando Diniz até ensaiou uma reação com Everaldo, mas o Rubro-Negro logo consolidou seu domínio. Vitinho chutou cruzado e, no rebote da defesa de Rodolfo, Bruno Henrique serviu Renê. O lateral deu batida venenosa para o fundo da rede. Mesmo dominando o jogo, a equipe de Abel Braga quase quase ampliou sua vantagem em tentativas de Vitinho e Uribe.
Tricolor empata com VAR ‘decisivo’

O Tricolor das Laranjeiras voltou do intervalo apostando em investidas de Ganso e Everaldo e fazendo a zaga adversária desdobrar-se para evitar chances. De tanto pressionar, o atacante encontrou uma brecha para conduzir a equipe ao empate (com boa dose de discórdia). Everaldo passou como quis por Pará e caiu após dividida com Léo Duarte. Após, inicialmente, mandar o jogo seguir, o VAR voltou a entrar em cena: alertado, Marcelo de Lima Henrique reviu o lance e apontou pênalti. Yony González, com tranquilidade, deslocou Diego Alves.


Muita tensão
Empolgado, o Fluminense teve a chance de virar logo em seguida, em contra-ataque puxado por Yony. No entanto, Ganso, em vez de chutar, procurou Bruno Silva, que permitiu corte da zaga rubro-negra. Com as alterações, o Flamengo cercou o adversário, recorrendo a cruzamentos e assustou em tentativa de Lucas Silva. Em seguida, um cruzamento de Everton Ribeiro desviou em Matheus Ferraz quase traiu Rodolfo. Os tricolores até tentaram: após cruzamento de Ganso, Yony González carimbou o travessão. Em seguida, Everaldo exigiu Diego Alves.


Luta até o fim
O Rubro-Negro seguiu lutando. Diego Alves avançou a cada cobrança de falta, houve tentativas frequentes. Até, nos acréscimos, vir a chance da vitória. Léo Santos cometeu pênalti infantil sobre Lucas Silva. Everton Ribeiro converteu e decretou o triunfo do Rubro-Negro. No finzinho, Ganso foi expulso, por empurrar o quarto árbitro. Depois de tudo, o Flamengo se assegurava na final da Taça Rio.

FICHA 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
© PRORROGAÇÃO 2019 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS