PUBLICIDADE

Em momento decisivo, Atlético-MG ainda procura time ideal

Atlético Mineiro

 

​No sábado, em Varginha, o ​Atlético-MG começa a definir seu futuro no Campeonato Mineiro, dando início à disputa semifinal diante do Boa Esporte. Na outra quarta-feira, a equipe volta a campo pela Libertadores da América para enfrentar o Zamora, da Venezuela, no Mineirão.

Sem pontuar nas duas primeiras rodadas do torneio continental, o resultado positivo é praticamente uma obrigação. Só que, ao mesmo tempo em que chega ao momento mais importante deste início de temporada, o time ainda tem indefinições no seu time.

Oito nomes são titulares, a princípio, indiscutíveis: o goleiro Victor, os laterais Guga (que ganhou recentemente a vaga de Patric) e Fábio Santos, os zagueiros Réver e Igor Rabello, os meias Cazares e Luan e o centroavante Ricardo Oliveira. Assim, restam três posições que, por enquanto, não têm dono.

Entre os volantes, Adilson (que está machucado), Jair, Elias e Zé Welison fazem uma disputa ferrenha por duas vagas, enquanto Chará, que perdeu espaço, e David Terans, utilizado nos dois últimos compromissos, brigam por um lugar na ponta esquerda – Maicon Bolt e Geuvânio, recém contratados, também são opções para o setor.

“A gente precisa ter tranquilidade neste momento, e o Levir tem buscado sempre o melhor. É fundamental que todos entendam a nossa maneira de jogar para, quando entrarem, também renderem o máximo. Quando todos tiverem pleno entendimento do que fazer, vamos encontrar, sem sombra de dúvidas, jogadores com as características necessárias para cada posição”, disse o centroavante Ricardo Oliveira. “É difícil, sim, mas temos que nos encaixar. Temos uma temporada longa pela frente e vários campeonatos. A gente precisa continuar evoluindo”, completou Zé Welison.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
© PRORROGAÇÃO 2019 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS