PUBLICIDADE

Jogador do Botafogo revela o que fez com o primeiro salário e motivo emociona

Botafogo

 

Chegar ao time profissional de qualquer ​grande clube requer grande esforço e dedicação desde muito cedo. Esse sacrifício por muitas vezes se estende aos familiares que, dispondo de poucos recursos financeiros, buscam maneiras de manter o vivo o sonho do futuro craque e, quando isso se materializa, receber o primeiro salário como atleta profissional é um momento de muita alegria e emoção.

Geralmente, a primeira coisa que se pensa quando um jogador recebe seu pagamento pela primeira vez é que ele será gasto na compra de carros ou artigos supérfluo. Esse não foi o caso de Wenderson, volante do Botafogo, de 19 anos: tão logo viu seu ordenado cair na conta, deu metade para seu pai que na época em que ele estava na base, chegou a pedir dinheiro emprestado para que o garoto pudesse treinar.

Foi a maior felicidade do mundo. Todo mundo em casa feliz demais. Muitas crianças queriam estar no meu lugar, sei disso. Depois do primeiro contrato, foi só alegria. Fiquei maluco quando entrou meu primeiro salário na conta. Dei metade pro meu pai, comprei roupa pra mim e guardei o da passagem. Tem que dar aquela caprichada no visual”, falou o atleta ao portal UOL.

“Até conseguir o primeiro contrato, passei por muitas dificuldades. Meu pai nunca teve muito dinheiro e teve que pegar dinheiro emprestado várias vezes. Tudo para eu ter o dinheiro da passagem para poder treinar. Eu só soube do dinheiro emprestado depois. Ele me contou bem depois. Fiquei muito triste por ele ter passado por isso. Por outro lado, fiquei feliz porque ele confiou muito em mim e deu certo”, seguiu o jogador, que esteve no banco de reservas na última partida do Botafogo, diante do Volta Redonda.

 


Fonte: 90min

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
© PRORROGAÇÃO 2019 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS