PUBLICIDADE

Palmeiras de 2019 é melhor no 1º tempo do que no 2º

Palmeiras

 

A reclamação de Felipão em relação à queda física do Palmeiras no segundo tempo contra o Ituano, na última quarta-feira, causou um pequeno mal-estar com outros membros da comissão técnica. Mas, a julgar pelo desempenho alviverde na temporada, o condicionamento dos atletas pode ser a explicação para a diferença entre os números dos 45 minutos iniciais e dos 45 finais.

Dos dez gols anotados pelo Palmeiras em 2019, sete foram no primeiro tempo e apenas três depois do intervalo. O Verdão passou em branco na etapa final das partidas contra Bragantino, Botafogo, Santos, Ferroviária, Corinthians e Red Bull, todas pelo Campeonato Paulista.

Já no tempo inicial, o time de Felipão conseguiu balançar as redes de Ituano, Red Bull, Botafogo, São Caetano e Bragantino. No número de gols sofridos, há igualdade: dois na primeira etapa e dois na segunda.

Independentemente da questão física lamentada pelo ex-treinador da seleção, uma coisa é certa: o ataque formado por Borja, Deyverson, Dudu, Lucas Lima e companhia está devendo. Afinal, são míseros dez gols em nove partidas disputadas, com média pouco superior a um gol por jogo.

Sozinho, o santista Jean Mota tem sete gols, a apenas três de todo o constelado elenco alviverde. Os gols do atual campeão brasileiro anotados em 2019 foram de Borja por três vezes, Ricardo Goulart por duas, além de Deyverson, Scarpa, Luan, Felipe Pires e Dudu, com um gol, cada.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
© PRORROGAÇÃO 2019 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS