PUBLICIDADE

Chamusca diz não temer saída do clube: “Não tenho preocupação”

Vitória

Foto: Marcello Góis/Arena Rubro-Negra

 

Após mais vexame do Vitória em 2019, a continuidade de Marcelo Chamusca como treinador do clube é mais uma vez colocada em dúvida. Na entrevista coletiva após a derrota por 2×1 para o Atlético de Alagoinhas no Barradão na noite da última quarta-feira (27), o treinador foi questionado.

E por que não aceitou as propostas? Chamusca disse que pretende seguir no projeto do Vitória. “Tenho um projeto, estou dentro do trabalho. Não posso, na primeira dificuldade, abrir mão do meu contrato. Tenho responsabilidade e pretendo seguir no clube. Estou trabalhando diuturnamente, inclusive na questão das contratações. A gente está trabalhando nesse aspecto também. Agora, não tenho nenhuma preocupação com essa coisa de cargo”.

Quando perguntado se entregaria o cargo, Chamusca respondeu que não pretende sair do clube e ainda afirmou ter recebido propostas e que não teve o cargo. “Não vou entregar cargo. Vim para fazer trabalho, tenho contrato. Nunca esperava que meu time tivesse atuação tão ruim como teve. Modéstia à parte, eu tenho mercado. Semana passada fui sondado por duas equipes. Não tenho preocupação com esse negócio de cargo. Minha preocupação é fazer a equipe ter performance. Em relação a cargo, não tenho a mínima preocupação.

Um dos piores momentos do Vitória no jogo aconteceu após a saída de Erick para a entrada de Wesley. Perguntado se falhou como treinador no jogo, Chamusca acha que não. “Não falhei. Identifiquei que era uma noite coletiva muito ruim, tentei consertar no vestiário, time não reagiu, fiz a substituição. Em todas as formações utilizadas, a gente não conseguiu dar a resposta”, comentou.

Marcelo Chamusca assumiu a responsabilidade, mas também falou sobre as deficiências dos jogadores na partida. “A gente não funcionou, e é minha responsabilidade porque sou o treinador. Não posso ser crucificado sozinho. Meus jogadores jogaram muito abaixo do que em outras partidas. Hoje a gente não funcionou em nenhum aspecto, e o adversário tem seus méritos, é um time qualificado, está fazendo um campeonato bacana. O Vitória foi mal porque o adversário foi superior a nós”.

O Vitória volta a campo apenas no dia 7 de março (quinta-feira de cinzas), às 21h30, novamente no Barradão, para enfrentar o Botafogo/PB, pela Copa do Nordeste.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
© PRORROGAÇÃO 2019 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS