PUBLICIDADE

“Fiz, faço e vou continuar fazendo”, diz Renato sobre espionagem

Grêmio

Última atualização Montagem/Lucas Uebel/Grêmio FBPAm O treinador do Grêmio saiu em defesa de Marcelo Biela e não vê a prática como algo antiético no futebol

 

 

Em 2017, enquanto o Grêmio caminhava rumo ao título da Libertadores, Renato Portaluppi esteve em evidência depois que uma reportagem descobriu o trabalho de espionagem dos adversários, através de imagens conseguidas por drones.

O tema da espionagem no futebol, uma prática existente desde os primórdios competitivos do esporte, voltou à tona recentemente por causa do argentino Marcelo Bielsa. O treinador do Leeds United, da segunda divisão inglesa, confirmou que também busca o máximo de informação sobre os seus adversários e iniciou uma nova polêmica no futebol inglês, europeu e mundial.

Perguntado sobre o assunto, Renato voltou a defender a espionagem no futebol e garantiu apoio a Bielsa: “Eu bato palmas para o Bielsa, porque ele foi muito sincero, assim como eu fui. Fiz, faço e vou continuar fazendo. Não tem nada de errado”, disse em entrevista ao Esporte Espetacular, da Globo.

“Todas as Libertadores que disputei aqui no Grêmio a gente pegou várias jogadas ensaiadas dos adversários devido aos nossos espiões, que nos ajudam muito. Vai falar que é falta de ética? De forma alguma. Se alguma fizer comigo, vou dar os parabéns, porque conseguiram informações que eu estava tentando esconder”, completou.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
© PRORROGAÇÃO 2019 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS