PUBLICIDADE

Talleres 2 x 0 São Paulo: A vida é um desafio

São Paulo

Dois chutes da entrada da área cravaram um resultado imponente do Talleres sobre o São Paulo. A vitória de 2 a 0, no Estádio Mario Alberto Kempes, impõe um desafio complicado de se reverter em qualquer eliminatória. Ainda mais na Libertadores de América.

A principal questão do início de temporada no São Paulo foi respondida em Córdoba. Não só Hernanes e Nenê jogaram juntos como iniciaram a partida mais importante do ano até aqui. O capitão do time teve preferência para jogar por dentro, em uma trinca de meio-campistas até pela questão física, que ainda está não está resolvida.

Déficit que impactou a produção do camisa 15. Hernanes se dedicou à marcação, mas, com a bola nos pés, não conseguiu ser o jogador de desequilíbrio.

O Tricolor respeitou a postura argentina de tentar pressionar logo de cara. Soube se portar. Mostrou alguma segurança defensiva, com uma dupla de área mais veloz para evitar surpresas com a velocidade de Palacios.

Tiago Volpi não precisou trabalhar até o intervalo. O jogo de peças de Juan Pablo Voyvoda, alternando entre dois e três zagueiros não gerava a superioridade no campo ofensivo como desejado. E o Talleres pouco fez.

O São Paulo poderia ter se lançado mais ao ataque. Pablo praticamente não foi efetivo jogando como nove. Hudson, com bom posicionamento em sua função primordial de marcação. E com chegadas pontuais na área adversária. Chutou duas vezes. Parecia um cenário plausível por ser um duelo disputado fora de casa.

Mas foi penalizado por ser muito lento na transição da defesa. Errou muito. Perdeu o timing de segurar a bola no ataque. Pior. Deixou espaço na entrada da área.

Informação que seria nítida na finalização bem executada de Ramírez. Um tapa perfeito, no ângulo direito. Graças à grande lacuna que existia por ali.

O gol derrubou o time são-paulino mentalmente. Sem respostas. Sem forças para criar qualquer oportunidade de gol. Embora Pablo tenha até acertado a trave, em cobrança de falta aleatória pouco tempo depois.

O Talleres foi cozinhando o jogo. Adotou uma postura cautelosa porque o resultado estava mais que suficiente.

Ficou melhor, sob a ótica argentina, quando Hudson recebeu o segundo amarelo e deixou o campo. Expulso. Willian Farias entrou justamente para fechar a cabeça da área e, pelo menos, trazer um resultado reversível.

O cenário ganhou ares de desafio quando Pochettino tabelou por dentro e chutou praticamente de cara para Tiago Volpi. 2 a 0.

Dois gols de diferença para pensar em virada. Bem improvável. Também porque antes de pensar em buscar uma classificação, o São Paulo precisa ter algum repertório, algo que não foi demonstrado até aqui.

Uma desafiadora tarefa a ser resolvida na próxima quarta-feira, no Morumbi. Difícil pensar que não haverá drama. Impossível saber se dará certo. O provável é que não dê.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
© PRORROGAÇÃO 2019 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS