PUBLICIDADE

Pré-jogo – Palmeiras x Cruzeiro: Clássico de Palestras é pautado pelo equilíbrio

Futebol Palmeiras

 

Equilíbrio. A palavra que sintetiza o confronto entre Palmeiras e Cruzeiro, marcado para esta noite, às 21h45, no Allianz Parque.

A ida da semifinal da Copa do Brasil coloca frente a frente duas equipes que têm, no momento defensivo, suas fortalezas e que crescem em jogos de Copas como o de hoje. Assim como foi em 2017, quando a Raposa avançou pelos gols qualificados, a expectativa é de dois jogos duríssimos, quem sabe decididos nos pênaltis.

Primeiro porque Felipão otimizou processos e adequou o time à sua cara. O alviverde praticamente não sofre contra-ataques por ter sempre sua linha de 4 defensiva postada e protegida por dois volantes. Organização defensiva que aumenta a possibilidade do talento decidir na frente. Tanto que, desde sua volta, o técnico só perdeu um dos 10 jogos nos quais comandou a equipe. Justamente quando os nervos estiveram fora do eixo, diante do Cerro Porteño.

No mais, oito vitórias e dois empates. Jogadores em alta como Deyverson (autor de quatro gols desde a chegada de Scolari) e Dudu, que subiu de rendimento. Força considerável para encarar qualquer time.

E, embora não seja um time qualquer, o Cruzeiro não atravessa exatamente uma grande fase na temporada. Dos últimos nove jogos, venceu um. Vitórias que foram embora como o desempenho de uma Raposa que segue viva nas três frente, embora tenha um aproveitamento melhor nas competições de mata-mata.

Não se pode reclamar de uma equipe talhada para ser copeira. Que venceu o Flamengo, no Rio, e o Santos, na Baixada, para chegar nas quartas da Liberta e na semi da Copa do Brasil. Nem de um meio-campo de respeito formado por Henrique, Lucas Silva, Robinho, Thiago Neves e Arrascaeta. Forte.

Como é a dupla de zaga, dura de ser batida por cima e por baixo como Léo e Dedé (que pegou um voo de Washington DC para chegar a São Paulo e jogar).

Mano Menezes ama disputar jogos de ida e volta. Felipão nem se fala. Não à toa a competição está entre as prioridades dos dois. E o duelo fica fifty fity por isso. Igual. Parelho. O blogueiro vai ficar em cima do muro.

O retrospecto dos times em confrontos pela Copa do Brasil mostra: quem passar será campeão. Ou pelo menos o histórico é este. Em 1996 (na final) e em 2017 deu Cruzeiro passando pelo alviverde. Em 1998 (também na final e com Felipão, na primeira passagem) e em 2015 deu Palmeiras, tirando a Raposa do caminho.

Confronto de gente grande. E que vai pegar fogo nesta noite.

Prováveis times
Palmeiras (4-3-3): Weverton; Mayke, Antonio Carlos, Edu Dracena e Diogo Barbosa; Thiago Santos, Bruno Henrique e Moisés; Willian, Borja e Dudu. Téc.: Felipão

Cruzeiro (4-2-3-1): Fábio; Edílson, Dedé, Léo e Egídio; Henrique e Lucas Silva; Robinho, Thiago Neves e Arrascaeta; Raniel. Téc.: Mano Menezes

 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
© PRORROGAÇÃO 2018 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS