PUBLICIDADE

Cruzeiro 2 x 1 Fluminense: Vitória de presente

Cruzeiro Fluminense

 

Em jogo marcado por dois gols contra, o Cruzeiro bateu o Fluminense, por 2 a 1, no Mineirão. Vitória que encerra o jejum mineiro no Brasileirão, com seis partidas de lamentações.

Poupando Léo, Egídio e Barcos com vistas a Libertadores, a Raposa queria manter uma estrutura sólida para buscar a vitória. Afinal, a sequência sem vence incomoda.

De início, dois times que queriam ter a bola no chão. Trocar passes e associar. O que deu certo mesmo foi a pressão de Raniel. Sufoco para tirar a bola de Gum e ser derrubado na entrada da área. Falta que Arrascaeta cobrou na cabeça do xodó da torcida. Casquinha para vencer o goleiro. 1 a 0 aos 13.

Mas foram poucas finalizações no Mineirão. O gol cedo fez o Cruzeiro arrefecer a busca pelo ataque. Arrascaeta era o cara mais ligado neste sentido. Aberto pela esquerda, no 4-2-3-1 de Mano Menezes.

A cadência mineira resultou em um Flu mais atento. Mais a fim de ter a bola e buscar a saída por baixo. A estrutura tática com três volantes permite uma aproximação maior atrás, com Jádson, Richard e Dodi. Um 4-3-1-2 de Marcelo Oliveira.

Com mais jogadores atrás, Sornoza ficou sumido. Sem ter com quem conversar. A única saída do time estava nos pés e na velocidade dos laterais e de Matheus Alessandro pelas pontas.

Ayrton Lucas decidiu ascender pela ponta esquerda e cruzar por baixo. Henrique, na ânsia de cortar, mandou contra. O Flu empatou, aos 26, sem dar qualquer chute a gol.

Pedro, o homem responsável por metade dos gols do time na competição, praticamente não tocou na bola. E assustou o torcedor Tricolor quando dominou a bola na área e caiu com muitas dores no joelho direito. Aparentemente uma torção no local. Preocupação pela forma como o camisa nove saiu de campo desolado. E amparado pela comissão médica.

A morosidade deu lugar à intensidade em um segundo tempo mais ligado. Especialmente no lado azul da partida. A Raposa aumentou o ritmo ofensivo e empurrou o adversário para trás.

A noite não era de uma produção enorme de chances. Thiago Neves, por exemplo, teve duas. Parou em Julio Cesar e isolou a segunda.

Não estava fácil. O dificil era presumir que mais um gol seria dado de presente. Egídio, que saiu do banco, fez a jogada de fundo e cruzou. Ayrton Lucas se atrapalhou com a bola passando por Ibáñez e ficou sem reação. Resultado foi o gol contra. 2 a 1.

O Flu sentiu a saída de Pedro. E a estreia de Kayke. Muito esforço e pouca efetividade. A Raposa aproveitou para conquistar a primeira vitória no returno do BR.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
© PRORROGAÇÃO 2018 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS