PUBLICIDADE

Chegada de Cuca faz diretoria do Santos repensar contratação de estrangeiros

Santos

Presidente José Carlos Peres prestigiava atletas de fora do país, mas técnico deseja jogadores que se adaptem rápido ao futebol brasileiro


Por Globoesporte
O Santos deve adotar uma nova postura nesta reta final de janela de transferências. Antes, a prioridade da diretoria, chefiada pelo presidente José Carlos Peres, que depois ganhou o reforço do executivo de futebol Ricardo Gomes, era trazer apenas estrangeiros. A justificativa pela preferência do mandatário por gringos era que no mercado nacional “não havia opções”.
Só que agora, após a chegada do técnico Cuca, o foco é outro. O treinador já deixou claro que não é o momento para a chegada de estrangeiros e que prefere atletas que conheçam o futebol brasileiro – e que não precisem de tempo para adaptação. Prova disso é que o comandante barrou a contratação do centroavante Marco Ruben, do Rosario Central, que tinha praticamente tudo acertado para defender o Peixe.
O princípio seguido por Cuca vai em uma via contrária à de Peres, que priorizava jogadores vindos de fora do país para “valorizar a marca Santos”. O presidente e Ricardo Gomes, porém, dão abertura para o técnico opinar sobre qualquer negociação, assim como no caso de Ruben.
Cuca e José Carlos Peres, técnico e presidente do Santos, respectivamente (Foto: Ivan Storti/Santos FC)
Seguindo a lógica, a tendência é de que o Santos não contrate mais estrangeiros nesta janela.
– São temas delicados de falar, mas vou falar: temos cinco estrangeiros aqui. Vamos trazer um sexto. Geralmente esse momento requer adaptação, e hoje não temos tempo para nada. Se pudermos, dentro da necessidade, trazer quem conheça território, que conheça o futebol brasileiro, é um tempo economizado – admitiu Cuca, em entrevista na semana passada.
O prazo para contratações internacionais se encerra exatamente em uma semana. E o Peixe segue de olho no mercado. A prioridade no momento é a contratação de um centroavante. A procura por um camisa 9, no entanto, segue “fria” no momento.
O Santos busca a contratação de um atleta para a função desde a saída de Ricardo Oliveira, ao fim da temporada passada. Yuri Alberto, de 17 anos, é o único centroavante do elenco. Eduardo Sasha e Gabigol compartilham a função e atuam improvisados. O camisa 10, apesar de ser o artilheiro do time no ano, não vive bom momento e diz que joga “fora de sua posição”.
Gabigol tem sido utilizado como “camisa 9” por Cuca, mas diz que joga fora de posição (Foto: Ivan Storti/Santos FC)
Muitos centroavantes já foram sondados ao longo de 2018, mas nenhuma contratação vingou: Tréllez, Gilberto, Uribe, Jonatan Álvez, Hernán Barcos, Franco Di Santo, Tobias Figueroa, Nicolás Blandi, Joaquín Ardaiz, Facundo Ferreyra, Guerrero e Jonas, entre outros.
Até o momento, três atletas foram contratados para o segundo semestre. Todos estrangeiros, trazidos antes da chegada de Cuca: o costarriquenho Bryan Ruiz, o uruguaio Carlos Sánchez e o paraguaio Derlis González.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
© PRORROGAÇÃO 2018 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS