PUBLICIDADE

Fluminense 1 x 1 Bahia: Faro dos artilheiros em jogo parelho no Rio

Bahia Fluminense Futebol

No Maracanã, um empate justo entre os dois Tricolores, na 17ª rodada do Brasileirão. Os artilheiros deixaram as suas marcas para Fluminense e Bahia, em jogo disputado e pegado no Rio de Janeiro.

A partida estava à feição do Tricolor de aço. Que jogava bem como se fosse mandante no Maior do Mundo. Explorando o seu lado mais forte, com a boa estreia de Paulinho e o talento de Zé Rafael, no 4-2-3-1 de Enderson Moreira, ex-técnico do Flu.

Pelo menos três ótimos contra-ataques em cima de Léo. Colocando em apuros a defesa do Tricolor carioca, que se viu em um cenário diferente do visto na última quinta-feira, quando Julio Cesar foi mero expectador contra o Defensor.

Muito ao contrário. Ele precisou fazer uma excelente defesa aos 27, em chutaço de fora de Zé Rafael. De mão trocada.

O jogo virou quando Matheus Alessandro passou a desequilibrar pela esquerda, no 4-1-4-1 que Marcelo Oliveira traz como proposta desde que foi confirmado como técnico do time.

Partindo para cima. Como na jogada aos 20. Que sobrou com Pedro. O centroavante do Flu girou e colocou a bola, com imensa categoria, no canto esquerdo de Anderson. Como se fosse fácil. Um tapa certeiro. 1 a 0.

Partidaça de Pedro no que se propõe a fazer. Um gol em uma finalização certa. Muita categoria para segurar a bola e esperar os companheiros se aproximarem. É o líder de gols no campeonato, com 10.

Os cariocas passaram a chegar mais à frente. Na boa participação de Sornoza como o articulador do time. Ditando um ritmo interessante na segunda metade da primeira etapa.

Ritmo que caiu muito no tempo final. Muito. O Bahia buscava o jogo, e não tinha de onde tirar aparentemente. O Flu queria o contra-ataque, mas não teve Marcos Junior nos melhores dias.

Quando Sornoza se lesionou, o Tricolor carioca ficou à mercê do que o Bahêa poderia fazer nos minutos finais.

Élber saiu do banco para fazer a banda direita na vaga de Gilberto, pálido no comando do ataque. A participação do camisa 7 foi decisiva. Um cruzamento bem feito para a testada de Edigar Junio, a única finalização dele também em 90 minutos. Empate justo.

 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
© PRORROGAÇÃO 2018 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS