PUBLICIDADE

Enciclopédia da Copa: Os Samurais Japoneses

Copa do Mundo Japão

A Seleção Japonesa de Futebol é a mais bem-sucedida seleção na Copa da Ásia, com quatro conquistas (1992 e 2000, contra Arábia Saudita; 2004, contra China e 2011, contra a Austrália). O título continental é mais uma prova da evolução do futebol no país após a profissionalização da Liga Nacional. Desde que a J-League foi criada em 1993, a seleção japonesa só não participou do Mundial de 1994. Sua estreia em Copas do Mundo foi em 1998, quatro anos antes de o Japão ser uma das sedes da competição e chegar às quartas-de-final, façanha repetida em 2010. Nas Olimpíadas de Londres 2012, novamente a seleção japonesa mostrou que pode se tornar uma das potências do futebol, tendo chegado às semifinais. Seu melhor desempenho nos Jogos Olímpicos foi em 1968, quando ficou com a medalha de bronze, ao vencer o México.

Uma curiosidade que envolve a seleção japonesa é que ela é a única de fora do continente americano, a disputar uma Copa América. O Japão participou do torneio em 1999, no entanto, não passou da fase de grupos. Em 2011, a Conmebol voltou a convidá-lo, porém, devido aos terremotos e tsunami que assolaram o país naquele ano, bem como pela dificuldade de enviar os jogadores japoneses que atuam no futebol europeu, a participação se tornou inviável. 

Muitas pessoas questionam o porquê de a seleção japonesa atuar com camisas azuis, se as cores da bandeira nacional são vermelho e branco. A escolha tem seus fundamentos. Na tradição local, o azul simboliza a juventude e é a cor oficial (homenagem ao Oceano Pacífico) da Associação de Futebol Japonesa – apesar de o amarelo, que representa o fair play, ser predominante em seus escudos. Dessa maneira, os japoneses buscam transmitir a mensagem do “propósito do fair play apoiado sobre o poder da juventude”. A superstição também pesou na escolha, já que em sua primeira importante competição mundial, quando conquistou o bronze olímpico, o time usou o uniforme azul. Contudo, vale destacar que no final dos anos 80 e início dos anos 90, o Japão chegou a atuar com camisas alvirrubras.  

Uniforme japonês para a Copa do Mundo.

Após fazer excelente trabalho na seleção da Argélia, que quase eliminou a Alemanha na Copa do Mundo de 2014, o bósnio, Vahid Halilhodzic foi o eleito para dirigir o Japão em 2015. E a escolha não poderia ter sido mais acertada: com um trabalho muito sólido, ele foi um dos grandes responsáveis por montar uma seleção muito segura, que se destaca pela solidez defensiva e pelo poder de fogo no ataque. Sob seu comando, os “Samurais” ganharam 20 partidas e perderam só três vezes. Fora dos campos, Halilhodzic é conhecido por ser um sobrevivente da Guerra da Bósnia, e também por ter recebido um título de Cavaleiro da Legião de Honra do Governo da França, país no qual é ídolo do Nantes, devido à sua excelente passagem pela equipe quando ainda era um perigoso atacante da seleção da Iugoslávia.

Vahid Halilhodzic, técnico do Japão.

Aos 31 anos, o ex-meio-campista de Milan e CSKA Moscou vive fase decadente na carreira, tendo ido jogador no Pachuca, do México, após 10 anos no futebol europeu. No entanto, Keisuke Honda segue como um dos grandes nomes da seleção de seu país. Nas eliminatórias asiáticas, foi extremamente decisivo, marcando sete gols e terminando como artilheiro japonês no qualificatório, à frente de Shinji Kagawa, do Borussia Dortmund, que fez seis gols, e Shinji Okazaki e Genki Haraguchi, que anotaram cinco cada. Se não se lesionar, Honda tem tudo para disputar seu 3º Mundial pelo Japão no ano que vem, já que também esteve em 2010 e 2014. 

Honda é o principal jogador japonês.

Abaixo, nossa equipe do Prorrogação montou um breve resumo das participações japonesa, em Copa do Mundo e Copa Asiática.

Retrospecto da seleção do Japão em Copas do Mundo

1930 – Não participou
1934 – Não participou
1938 – Desistiu
1950 – Não participou
1954 – Não se classificou
1958 – Não participou
1962 – Não se classificou
1966 – Não participou
1970 a 1994 – Não se classificou
1998 – Eliminada na 1ª fase
2002 – Eliminada nas oitavas-de-final
2006 – Eliminada na 1ª fase
2010 – Eliminada nas oitavas-de-final
2014 – Eliminada na 1ª fase
2018 – Classificada para a Copa do Mundo

Retrospecto da seleção do Japão na Copa das Nações da Ásia

1956 a 1964 – Não participou
1968 – Não se classificou
1972 – Não participou
1976 – Não se classificou
1980 a 1984 – Não participou
1988 – Eliminada na 1ª fase
1992 – Campeã
1996 – Eliminada nas quartas-de-final
2000 – Campeã
2004 – Campeã
2007 – 4º lugar
2011 – Campeã
2015 – Eliminada nas quartas-de-final
2019 – Classificada

O comandante do Japão, Vahid Halilhodzic, levará o que tem de melhor à sua escolha. Com alguns jogadores experientes, e que disputaram o último mundial, o Japão chegou a Rússia com o seguinte elenco:

Goleiros: Eiji Kawashima (Metz-FRA), Masaaki Higashiguchi (Gamba Osaka) e Kosuke Nakamura (Kashiwa Reysol)

Defensores: Yuto Nagatomo (Galatasaray-TUR), Tomoaki Makino (Urawa Red Diamonds), Maya Yoshida (Southampton-ING), Hiroki Sakai (Olympique de Marselle-FRA), Gotoku Sakai (Hamburgo-ALE), Gen Shoji (Kashima Antlers), Wataru Endo (Urawa Red Diamonds) e Naomichi Ueda (Kashima Antlers)

Meio-campistas: Makoto Hasebe (Eintracht Frankfurt-ALE), Keisuke Honda (Pachuca-MEX), Takashi Inui (Eibar-ESP), Shinji Kagawa (Borussia Dortmund-ALE), Hotaru Yamaguchi (Cerezo Osaka), Genki Haraguchi (Herta Berlin-ALE), Takashi Usami (Augsburg-ALE) e Gaku Shibasaki (Getafe-ESP)

Atacantes: Shinji Okazaki (Leicester City-ING), Yuya Osako (Köln-ALE), Yoshinori Muto (Mainz-ALE) e Takuma Asano (Stuttgart-ALE)

Base da seleção japonesa.

O Japão estreia na Copa do Mundo, diante da Colômbia em 19/06; cinco dias mais tarde enfrenta o Senegal, e fecha a sua participação diante da Polônia no dia 28/06.

Grupo H da Copa do Mundo 2018.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
© PRORROGAÇÃO 2018 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS