PUBLICIDADE

Enciclopédia da Copa: A primeira vez a gente nunca esquece; prazer Islândia!

Copa do Mundo Islândia

A Islândia garantiu a sua vaga para a Copa do Mundo de 2018, e entrou para a história da competição ao se tornar o país menos populoso a disputar o principal evento do futebol.

Com uma população de 335 mil pessoas, a Islândia bateu o recorde que anteriormente pertencia à Trinidad & Tobago, que em 2006 tinha sua população avaliada em 1.3 milhões de pessoas, Irlanda do Norte que na sua classificação para o mundial tinha uma população de 1.5 milhões de pessoas, a Eslovênia que se classificou em 2002 com uma população avaliada em pouco menos de 2 milhões de pessoas, e Kuwait que em 1982 tinha uma população avaliada em 2 milhões de pessoas.

Com os gols de Gylfi Sigurdsson e Johann Berg Gudmundsson, os “Vikings” garantiram o triunfo por 2 a 0 sobre Kosovo. O triunfo que garantiu a classificação para o mundial, foi a sétima vitória dos islandeses nas Eliminatórias Europeias.

Comemoração do gol, na vitória sobre Kosovo.

Por mais incrível que pareça, a ilha gelada conta, apenas, com pouco mais de 20 mil futebolistas – entre homens e mulheres – registrados. É um dos menores palcos mundiais de futebol. Mas isso cai por terra quando se tem um treinador qualificado pela UEFA a cada 500 habitantes. Na Inglaterra, por exemplo, a proporção é de um para 10 mil.

Após décadas de resultados medíocres nas eliminatórias para a copa, o nível dos treinadores mostrou que é um grande investimento ao se planejar futebol de resultados. A participação confirmada em uma Copa do Mundo vem um ano após a histórica campanha na Eurocopa, com eliminação nas quartas de final; a maior façanha na competição Europeia, foi a vitória por 2 a 1 sobre a Inglaterra.

Jogadores comemorando a vitória sobre a Inglaterra.

Depois de 12 fracassos em qualificatórias, o número 13 se provou mágico para os islandeses. Mas o mérito é todo de um projeto sério que deixa uma lição para todos: a população não é o mais importante para um país conseguir bons resultados no futebol. Em primeiro lugar, vem o trabalho sério, leal e planejado.

A equipe comandada pelo treinador Heimir Hallgrímsson recebeu a alcunha de “Nossos Garotos”. Para isso, o comandante da Islândia não deverá mudar a sua base e levará os jogadores abaixo para o primeiro mundial na história da Islândia.

 Goleiros: Frederik Schram (Roskilde-DIN), Rúnar Alex Rúnarsson (Nordsjælland-DIN), Hannes Pór Halldórsson (Randers-DIN)

Defensores:  Ari Freyr Skúlason (Lokeren-BEL), Hördur B. Magnússon (Bristol City-ING), Hólmar Örn Eyjólfsson (Levski Sofia-BUL), Kári Árnason (Aerdeen-ESC), Sverrir Ingi Ingason (Rostov-RUS), Ragnar Sigurdsson (Rostov-RUS), Samúel K. Fridjónsson (Valerenga-NOR) e Birkir Már Saevarsson (Valur-ISL)

Meio-campistas:  Jóhann Berg Gudmundsson (Burnley-ING), Arnór Ingvi Traustason (Mälmo-SUE), Aron Einar Gunnarsson (Cardiff City-ING), Ólafur Ingi Skúlason (Karabukspor-TUR), Gylfi Sigurdsson (Everton-ING), Emil Hallfredsson (Udinese-ITA) e Birkir Bjarnason (Aston Villa-ING)

Atacantes:  Rúrik Gíslason (Sandhausen-ALE), Björn B. Sigurdarson (Rostov-RUS), Albert Gudmundsson (PSV-HOL), Alfred Finnbogason (Augsburg-ALE) e Jón Dadi Bödvarsson (Reading-ING).

Base da seleção da Islândia.

O uniforme da Islândia segue o padrão da bandeira nacional. O uniforme principal tem predominância nas cores azuis, que faz alusão a bandeira nacional. Já o segundo uniforme tem a cor branca predominante.

Uniforme que será usado pela Islândia no mundial.

 Abaixo nós do Prorrogação, fizemos um resumo da curta história da Islândia no futebol. A maior conquista, foi a eliminação nas quartas-de-final da Eurocopa em 2016.

 Retrospecto da seleção da Islândia em Copas do Mundo

1930 a 1950 – Não disputou
1954 – Inscrição negada pela FIFA
1958 – Não se classificou
1962 a 1970 – Não disputou
1974 a 2014 – Não se classificou


Retrospecto da seleção da Islândia na Eurocopa

1960 – Não disputou
1964 – Não se classificou
1968 a 1972 – Não disputou
1976 a 2012 – Não se classificou
2016 – Eliminada nas quartas-de-final

A Islândia anunciou um boicote diplomático da Copa do Mundo de futebol, em apoio ao Reino Unido, que não enviará oficiais à Rússia em meio ao esfriamento das relações bilaterais devido ao caso Skripal. Este boicote de Reykjavik acontece após 16 países da União Europeia (UE), além de Estados Unidos, Canadá e Ucrânia, anunciarem a expulsão de mais de uma centena de diplomatas russos de seus territórios.

Como preparação para o Mundial, a Islândia encara a Noruega no dia 02/06, e a seleção de Gana no dia 07/06. No mundial, a debutante em Copa do Mundo estreia contra a seleção da Argentina, de Lionel Messi, no dia 16/06; cinco dias mais tarde, joga contra a Nigéria e fecha a sua participação no dia 26/06, contra a forte seleção da Croácia.

Grupo D, no mundial da Rússia.

E aí torcedor, será que a seleção que nunca disputou um mundial até 2018 conseguirá avançar em um grupo com Argentina e Croácia?

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
© PRORROGAÇÃO 2018 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS