PUBLICIDADE

Citadini lança candidatura à presidência, detona atual gestão e se vê vencendo Andrés

Corinthians

Citadini já tentou ser presidente do Corinthians na última eleição (Reginaldo Castro/Gazeta Press)

 

Antônio Roque Citadini é o primeiro candidato oficial à presidência do Corinthians – a eleição está marcada para fevereiro de 2018. Em entrevista exclusiva ao Blog de Jorge Nicola, o ex-vice-presidente alvinegro confirmou que tentará acabar com os dez anos de gestão do grupo “Renovação e Transparência” liderado por Andrés Sanchez.

Por falar em Andrés, o deputado federal deve ser um dos rivais de Citadini. E o conselheiro do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, de 66 anos de idade, está convencido de que pode vencer Andrés nas urnas. Confira:

Por que você decidiu se lançar candidato à presidência do Corinthians?
Sou candidato por vários motivos. Primeiro, porque um grupo grande de conselheiros quer que eu concorra. Já fui vice-presidente de futebol por quatro anos, pegando épocas boas e difíceis, o que me trouxe muita experiência. Também vou me lançar porque o Corinthians precisa de alguém que possa resolver os problemas do clube.

E atual gestão não pode resolver os problemas? Por quê?
Faz pelo menos quatro anos que o Roberto (Andrade), o Mario (Gobbi) e o Andrés (Sanchez) só empurram os problemas com a barriga. Por exemplo: discute-se desde a Copa sobre o custo da obra do estádio e se ele já está concluído ou não. E nada se resolve. É preciso fazer uma arbitragem, mas esse grupo talvez tenha receito do que virá do juízo da arbitragem.

A arena é o grande Calcanhar de Aquiles do Corinthians hoje?
Não é culpa da arena, mas das pessoas que fizeram tudo na correria, com amadorismo. A gestão do estádio precisa passar por uma grande revisão, como por exemplo em relação ao contrato da Omni. A missão do Corinthians é pagar seu estádio. Não tem como fugir disso. Mas está claro que o clube gasta muito com a administração.

O Corinthians tem sofrido com o fluxo de caixa. Como resolver os problemas financeiros?
A situação é muito ruim, mas é melhor do que em outras épocas. E ninguém pode acusar o clube social de sangrar o Corinthians. O endividamento é por causa do futebol. Por causa da forma como a base é gerida, dessas parcerias com empresários e devido às contratações caríssimas.

Você reduziria os custos com o time principal e a base?
Eu sempre vou pensar em montar um time grande. Mas se gasta dinheiro à toa. Os jogadores da base também não podem subir ao profissional com fatias mínimas dos direitos econômicos. O clube investe por anos no garoto e, quando ele vira profissional, a porcentagem é de terceiros. Isso não existe.

Que avaliação faz da era Roberto Andrade?
Ele não consegue tirar o clube do impasse com a Odebrecht, com a Omni e com a Caixa. Por exemplo: a renegociação do financiamento do estádio com a Caixa. Temos de voltar a pagar (o clube está pagando apenas os juros do financiamento do estádio). Em relação ao futebol, com um pouco de tranquilidade, tudo se sustenta.

Como enxerga o trabalho do Fábio Carille?
Gosto da forma como ele monta os times. Vou a quase todos os jogos do Corinthians na arena, porque sou fiel-torcedor, e me agrada o trabalho dele.

Há quem garanta que sua candidatura fará o Andrés se lançar também. 
O Andrés vai ser candidato porque o grupo dele não tem outro. Ele se lançará independentemente da minha candidatura. Só tem ele.

Você pode vencê-lo nas urnas?
Lógico que posso. A candidatura dele tem vantagens e desvantagens. Quantas vezes você já viu ele dizer que os naming rights estavam praticamente vendidos? Ninguém cai mais nessa. Tenho boas condições de vencer porque o atual grupo não consegue resolver nada. Se eles ficarem mais dez anos, o Corinthians seguirá mais dez anos parado.

E como vencer quem tem a máquina nas mãos desde 2007?
Eles têm a máquina, os assessores, os ingressos. São coisas que realmente dificultam, mas esgotou-se a capacidade deles de responder às coisas do Corinthians. E o sócio já percebeu isso. Estamos chegando há dois meses sem patrocínio máster. Isso não pode.

Por falar em sócio, você tem alguma ideia para atrair mais gente para o clube social?
Quero fazer com que o sócio possa se tornar fiel torcedor, para que consiga facilidade na compra do ingresso e frequente o estádio. Isso não está acontecendo hoje. É também uma forma de atrair mais associados.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
© PRORROGAÇÃO 2017 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS