PUBLICIDADE

Na mira do Corinthians, Clayson desconversa sobre futuro: “Tenho contrato até 2020”

Corinthians Ponte Preta

 

Atacante se diz feliz na Macaca e rechaça possibilidade de se transferir neste momento justamente para o algoz do time no Campeonato Paulista. Diretoria, porém, confirma propostas

 

 

Titular da Ponte Preta durante a campanha no Campeonato Paulista, o atacante Clayson é alvo do Corinthians para a disputa do Brasileiro, que começa no próximo domingo. O esportista, no entanto, afastou, no momento, a possibilidade de deixar a Macaca para se integrar justamente ao algoz do time campineiro no Estadual. Ele, aliás, se mostrou feliz com a atual fase que está vivendo.

– Isso eu deixo para o meu empresário. Tenho contrato até 2020 aqui e estou feliz na Ponte – explanou.

Clayson explanou, ainda, do sentimento que fica após o vice-campeonato do Paulistão. O esportista, aliás, lamentou a derrota, por 3 a 0, sofrida no primeiro jogo da final, disputado no Moisés Lucarelli, em Campinas. Independente da colocação alcançada pela Macaca, ele cita o fim com a cabeça em pé.

– Sentimento que fica é esse último. Infelizmente não fizemos um bom primeiro jogo e mesmo que não desse hoje teríamos que tentar fazer o máximo para terminar de cabeça erguida. E foi isso que nós todos fizemos – completou o jovem atacante pontepretano.

O presidente Vanderlei Pereira confirmou que a Ponte tem recebido muitas propostas de clubes interessados em Clayson, mas disse que nenhuma delas é do agrado até o momento. Isso, aliás, indica que o esportista pode permanecer por mais um período na Macaca.

– Tem o Brasil e o mundo atrás do Clayson, mas não tenho medo de perder. Proposta tem, mas nada que possa agradar à Ponte – explanou o dirigente pontepretano.

O técnico Gilson Kleina destacou a importância de Clayson no esquema tático da Macaca. Ele explanou, ainda, que ao chegar na Ponte, no meio do Paulistão, soube que o atleta corria o risco até mesmo de dispensa. Diferente de Pereira, o comandante não se mostrou tão confiante na permanência.

– Quando eu cheguei à Ponte neste meu retorno, me falaram que o Clayson era cobrado pela torcida e que poderia ser dispensado. Hoje vi que ele é um esportista diferente. Temos que pensar em reforçar esse setor de ataque para a sequência da temporada – apontou Kleina.


Fonte: Globo Esporte

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
© PRORROGAÇÃO 2017 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS